Em 1993, quando foi criada a delegação do IAC nos Açores, era visível a existência de um número significativo de crianças e jovens em situação de risco e de efetiva exclusão social e marginalização, quer na área urbana de Ponta Delgada quer nas zonas limítrofes; menores esses que se entregavam a práticas como mendicidade; vadiagem; pequenos furtos; absentismo e insucesso escolar; em alguns casos prostituição infantil, e que eram vítimas de maus tratos, negligência e abandono.

Daí a necessidade de criar respostas rápidas eficazes e adequadas, que permitissem erradicar estas situações, através, não só, do acompanhamento e intervenção sistemática junto do público-alvo, mas também da sensibilização da opinião publica para uma nova atitude, face à situação.

 

Nessa altura criou-se o Projeto de Rua, projeto inovador que, através de uma abordagem afetiva, de confiança, a estas crianças e jovens, nos locais onde as mesmas se encontravam (muitas vezes na rua) tinha como objetivo o desenvolvimento do projeto de vida dessas crianças e jovem, por forma a promover a sua reintegração familiar, escolar e social.

 

Foram muitos os esforços desenvolvidos no terreno, não só pela equipa do IAC – Açores, como pelas redes de parceria – Instituições Judiciais, a PSP, Família, Escolas, outros serviços públicos e a comunidade em geral, que colaboraram intensamente numa atitude de ajuda correta, humana e de respeito pelos direitos das crianças e jovens.

 

Sentimo-nos muito gratificados porque foi possível erradicar as situações de mendicidade e de vadiagem, que punham em causa a dignidade da criança e do jovem como pessoas.

 

O IAC-Açores foi ainda pioneiro em trazer à região respostas inovadoras como a criação da linha SOS-Criança. Também trouxe à região a formação na área da Animação de Rua e da Atividade Lúdica, beneficiando do saber de especialistas nacionais na matéria.

 

Desde aí têm sido recorrentes a criação de novas respostas e a adaptação permanente às novas problemáticas e dinâmicas sociais.

Atualmente o IAC-Açores tem 5 valências através de acordo de cooperação com o Governo Regional.

 

A par de toda esta intervenção, o IAC-Açores desde sempre se posicionou na região na vanguarda da sensibilização da comunidade para as questões que dizem respeito à Criança, e em particular na promoção dos seus Direitos. Exemplos são os seminários que promoveu, trazendo à região diversos especialistas de âmbito local, nacional e internacional e que muito têm contribuído para uma nova abordagem por parte de técnicos e de todos os agentes educativos em geral.

 

Somos ainda membros efetivos da ESAN (European Social Action Network), que é uma associação internacional sem fins lucrativos, que faz parte da Plataforma Social Europeia. Constitui-se como uma federação de associações e organismos europeus, dos diferentes países. Integra atualmente mais de cinco mil organizações que atuam no território europeu.

 

Sentimos que a sociedade cada vez mais se mobiliza na procura destas respostas, e na procura de novas formas de intervir em matéria de infância e juventude. Há uma nova consciência que importa promover. No entanto parece-nos que ainda falta percorrer um longo caminho para que a sociedade civil se consciencialize da sua responsabilidade social para com as crianças e para que todos deem um contributo efetivo e responsável para que todas as Crianças possam usufruir do exercício pleno dos seus Direitos.